Faltam 8 anos | Dica #1

Faltam 8 anos | Dica #1

Publicado em:
2/3/2020
No items found.

Que o planeta tá passando por um período sério e perigoso de caos climático você já deve saber, né? Os negacionistas, ou seja, aquela galera que insiste em negar que existe aquecimento global e todo o movimento caótico que estamos nos envolvendo por aqui, já estão ficando sem espaço com tantas notícias do clima que se apresenta atípico. Chuvas de meses em algumas horas, enchentes, degelo, calor e queimadas acima do esperado... são os pedidos de ajuda que o universo e a natureza estão emitindo pra gente. E ainda dá tempo.

E é por isso que em 2020 criamos a campanha #Faltam8Anos: o tempo que precisamos pra reverter esse cenário. Até 2028, é importante que a gente consiga investir esforços, políticas públicas, mudança de hábito de consumo, cobrança das grandes corporações pra que todo mundo caminhe pro objetivo de frearmos o caos.

É uma questão de sobrevivência.

Hoje, a meta global é a que a temperatura não ultrapasse os 1,5ºC. O chefe da Organização Metereológica Mundial (OMM) destacou que, se não prestarmos atenção nesses pedidos de socorro, podemos experenciar temperaturas entre 3º e 5ºC ainda nesse século. Em novembro do ano passado, o relatório Emissions Gap da ONU Meio Ambiente revelou que se quisermos uma chance de 66% de limitar o aquecimento global na tempratura de 1,5ºC, precisamos cortar as emissões globais de CO2 em quase 8% anualmente até 2030.

E se não prestarmos atenção nisso tudo, nosso crédito de carbono será usado em até 8 anos. Nós temos 8 anos pra mudar o mundo.

E só pra você ter uma ideia, a WRI fez um apanhado de exemplos do que pode acontecer se passarmos de 1,5ºC para 2,0ºC:

A campanha #Faltam8Anos é justamente pra gente multiplicar esse conhecimento pra podermos agir agora! Todo mês, nós vamos te dar uma dica poderosa pra contribuir individualmente com esse cenário e fazer a sua parte, além de cobrar os políticos e candidatos nas eleições por atitudes capazes de transformar de forma macro e sistêmica todos esses dados de um futuro sem vida.

E como dizem que o ano só começa depois do carnaval, nossa primeira dica é sobre o banimento dos plásticos descartáveis da sua vida pra já! A gente entende que muitos deles parecem difíceis de abolir, mas é pra isso que estamos aqui :)

Segundo o G1, o setor do plástico é a segunda maior fonte industrial que mais promove aumento de gases de efeito estufa. Além disso, 99% do plástico é de origem de comsbustíveis fósseis. O plástico é um sub-produto do petróleo e uma peça chave quando falamos nas emissões de dióxido de carbono. Se tudo continuar como está, ou seja, com a produção massiva de plásticos por aí, até 2050 ele vai ser responsável de 10% a 13% do crédito de carbono. Além disso, a decomposição do plástico contribui - e muito! - pro aquecimento global e as emissões.

Se o aumento da taxa de reciclagem global de todos os materiais subisse para 65%, seria possível evitar a emissão de 2,8 gigatoneladas de dióxido de carbono até 2050, segundo o livro Drawdown. Mas como o Brasil é o quarto maior consumidor de plástico do planeta e recicla apenas 1,28% do que produz, não consideramos a reciclagem uma solução viável e realista pra esse problema. Ele é o penúltimo R de uma vida Lixo Zero :)

Por isso falamos na redução e no banimento. Vamos às dicas?

  1. A primeira dica é banir os copos descartáveis da sua vida. Uma atitude super possível e acessível, porque basta você carregar com você um copo que você tem em casa. Pode ser qualquer um, até uma canequinha. Ou pode ser o copo do movimento, retrátil e que foi feito pra você nunca mais usar nem um copinho plástico sequer. Além de arrasar na atitude, você ainda contribui pra um negócio e impacto socioambiental, focado no empoderamento das pessoas e na educação ambiental gratuita. Só no Brasil, se consome 720 milhões de copos descartáveis de plástico por dia. Imagina se todo mundo se recusar a consumir, o impacto que isso gera?

  2. Compre a granel! :) Todo mundo tem aquelas sacolinhas de pano em casa, que vêm com os sapatos das lojas ou super dá pra fazer com lençol antigo ou algum tecido. São sacolinhas ótimas pra gente comprar grãos em lojas a granel e não usar plástico e também pra comprar frutas e legumes na feira. Também pode ser pote de vidro pros grãos e nenhuma sacola pro hortifruti: basta colocar direto na ecobag. É uma super economia de plástico!
  3. Talheres reutilizáveis. Todo mundo tem em casa talheres pra deixar na bolsa ou na mochila. Ninguém precisa usar aquela colher de plástico do sorvete ou do açaí, né?
  4. Se você não abre mão dos canudinhos: investe em um reutilizável. Hoje já tem de metal, de bambu e até de vidro. Só escolher o que melhor se aplicar à sua rotina :)
  5. Sacolinha jamais. Se você ainda tá presx naquele rolê de não reduzir as sacolas por causa das lixeiras de casa, a gente tem um conteúdo imenso pra te apresentar sobre isso. E a partir daí, só se jogar nas ecobags e não fazer parte do consumo de 1,5 milhão de sacolas plásticas por hora só no Brasil.
  6. Plástico filme é de doer o coração, Brasil! Eles têm uma taxa de reciclagem mínima, já que se contaminam super fácil com a comida e são fininhos demais. Sempre rola usar um prato pra cobrir os alimentos, tampas de silicone ou de pano e/ou os panos encerados.
  7. Cotonete só se for de papel, tá?

Como diz a Greta, falar sobre os números do caos climático não pode ser mais um tabloide dos jornais. É um fato e uma emergência existencial: precisamos tratá-lo como tal. Em breve não vai estar mais ao nosso alcance. Precisamos agir agora.

Menos 1 Lixo
Por:
meio
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Editorias
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos juntas!

Receba conteúdos, notícias, promoções e novidades do Menos 1 Lixo direto na sua caixa de entrada!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.