Entenda o que é o Veganismo

Publicado em:
24/5/2016
No items found.

Há algum tempo percebemos que assim como a sustentabilidade, a ideologia vegana, ainda é tida como um tabu para muitas pessoas. O raciocínio segue mais ou menos a mesma linha: caro, difícil, trabalhoso, e por aí vão os achismos. A ideia do Menos 1 Lixo, desde o início, é mostrar o empoderamento do indivíduo. A gente acredita que ele vem com o conhecimento, e consequentemente, da tomada de consciência e transformação. Por tudo isso, buscamos uma organização que muito entende do assunto, o Move Institute, para desenvolver pra você, de modo claro, do que se trata o veganismo. Já de início, vale ressaltar que o objetivo do nosso bate-papo não é afirmar que todos deveriam ser veganos e ponto (!), mas mostrar verdadeiramente do que se trata e quais os impactos disso na sua vida e na de todos os seres vivos. No planeta! A partir daí, a decisão é sua. ;) "Somos uma organização sem fins lucrativos fundada em 2010 com o objetivo de atuar em diversas questões relacionadas a causa animal, e em especial interações e problemas do convívio entre humanos e animais, tais como, venda, maus tratos, abandono, confinamento e exploração. O trabalho é focado na disseminação de informação, formação de opinião e pensamento crítico, e na transformação de hábitos", nos contou Adriana Pierin, uma das responsáveis pela instituição, designer por paixão, ativista pelos animais desde a infância e formada em administração de empresas. "Iniciamos o instituto com campanhas contra o uso de pele animal pela moda e conseguimos diversas vitórias neste tema, hoje temos 7 braços de campanhas que incluem campanhas pró adoção, contra o confinamento de pássaros, entre outras".

‍(Foto: Move It)

Qual a diferença entre um vegano e um vegetariano? Traduzindo as denominações: Ovolactovegetarianos Não consomem nenhum tipo de carne, mas consomem laticínios e ovos. Quando alguém se declara vegetariano, quase sempre pertence a este grupo. As motivações que levam uma pessoa a ser ovolactovegetariana variam, mas quase sempre estão ligadas a compaixão com os animais. Lactovegetarianos Além de não consumir nenhum tipo de carne os lactovegetarianos excluem também os ovos da dieta. Quase sempre este tipo de vegetarianismo está ligado à razões religiosas. É o tipo de vegetarianismo predominante em países como a Índia. Vegetarianos estritos Não consomem nenhum tipo de carne, laticínios ou ovos em sua alimentação. Veganos Por motivações éticas, não consomem nada de origem animal em nenhuma área de suas vidas. Alimentação, vestuário, espetáculos ou qualquer outro tipo de atividade que envolva sofrimento animal é excluída da vida de uma pessoa vegana. O veganismo é uma postura política e não uma dieta. Para os veganos, é importante mostrar sua filosofia de vida às empresas, através de boicote a produtos e serviços obtidos com sofrimento de animais. Produtos com qualquer ingrediente ou insumo de origem animal ou ainda testados em animais são riscados da lista de compras veganas. Entre os produtos não utilizados pelos veganos estão o couro, mel, lã, entre outros.

‍(Foto: coleção de sapatos veganos da Insecta Shoes)

Quando normalmente as pessoas se tornam veganas? Como costuma ser o processo? As pessoas se tornam veganas quando entendem que a mudança de hábitos é urgente e necessária. Que os animais estão completamente a mercê da ganância e da falta de ética. Acreditamos que exista um processo, que é o tempo que as pessoas demoram para aprender como substituir certos ingredientes e buscar informações a respeito deste novo estilo de vida. Quais as maiores diferenças entre o momento pré e pós do veganismo? A partir do veganismo você se torna muito mais consciente do que consome, aprende a ler os rótulos, busca informações sobre a origem dos ingredientes e sobre as empresas que os produzem, seus valores e sua relação com os animais. Na ida ao bar, ao restaurante, festinhas com os amigos, é difícil? Amigos podem inicialmente não entender e é comum veganos levarem sua comida às festinhas de família, porém, estas são grandes oportunidades para esclarecer dúvidas sobre o veganismo ou despertar pessoas que nunca pensaram a respeito. Pessoalmente tenho inúmeros depoimentos de pessoas que se tornaram vegetarianas ou veganas depois de conhecer este estilo de vida através de amigos e pessoas que para elas são "formadoras de opinião". Sobre bares e restaurantes é cada vez mais comum encontrarmos alternativas de consumo nos cardápios e quando elas não existem de forma explicita estão lá em meio aos outros pratos, por exemplo, batata frita, mandioquinha, arroz, feijão, saladas, existem muitos pratos veganos que as pessoas, às vezes, não se dão conta por não terem um "V" ao lado deles.

‍(Foto: evento vegan Move It)

É realmente mais caro se alimentar conforme os princípios veganos? É preciso mais investimento financeiro ou de tempo? Não é mais caro, como em qualquer dieta é uma questão de escolhas, na realidade uma dieta baseada em vegetais pode ser a escolha alimentar mais conveniente, acessível e disponível no planeta, fornecendo grande nutrição para um orçamento apertado. Alimentos processados, como queijos veganos e carnes vegetais, tendem a ser mais caros, sendo muitos deles produzidos fora do Brasil o que os encarece. Estes tendem a ser mais pobres nutricionalmente do que alimentos integrais frescos que são substancialmente mais baratos do que refeições prontas. Um saco seco de grãos, como arroz, aveia, macarrão, quinoa ou legumes podem formar a base de muitas refeições para toda a família. Existem hoje fantásticos livros que ensinam como produzir deliciosas receitas, queijos, leites vegetais entre outros. Obviamente acreditamos que seja necessário revermos nossa percepção de valor, visto que saúde, compaixão, bom senso e preocupação ambiental não tem preço, à primeira vista almoçar em um fast food  tradicional parece mais barato do que um restaurante de fast food  vegan, porém temos que contabilizar o desgaste ambiental, o sofrimento animal e os custos à nossa saúde que certamente saem absurdamente caros. Quais as perspectivas e expectativas da organização daqui pra frente? Para este ano estamos com diversos projetos em andamento, a adoção de animais é alvo de muitas campanhas, mas em breve lançaremos o vídeo de uma campanha voltada à popularização do veganismo. O cenário é promissor, no último ano tivemos um aumento de 500% do termo veganismo no Google. Algumas das campanhas já realizadas:

(Foto: campanha para adoção)
(Foto: campanha contra o confinamento de pássaros)
‍(Foto: Fernanda Young/ campanha contra o uso de peles)

Sugestões para aprofundar o tema no feriado, no final de semana e na vida: Documentários: "A Carne é Fraca", "Terraqueos" e "The Black Fish"; Livro: "Comer Animais"; Leitura online: Dieta vegana para combater mudanças climáticas . Um agradecimento especial para Adriana e também Danielle simões, que é formada em design de moda com absurdo interesse em pesquisas e gatos, e é a outra parte desse trabalho lindo. Meninas, muito obrigada pela disponibilidade e vontade de construir um mundo melhor. Vamos juntas! :) 

fb/MoveInstitute

Ig/MoveInstitute

Loja/MoveInstitute

Talita Gamboa
Por:
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Editorias
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntas!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.