Para ler no metrô: O Poder do Hábito

Para ler no metrô: O Poder do Hábito

Publicado em:
8/1/2015
No items found.

Seus hábitos ajudam o planeta ou consomem demais dele? E para sua saúde, o que eles fazem? Sua vida financeira está controlada? Se a resposta para alguma dessas questões não for lá muito positiva, temos uma boa notícia: até os mais antigos dos hábitos podem ser mudados.

Essa é a teoria do repórter investigativo Charles Duhigg no livro "O Poder do Hábito", baseado na leitura de centenas de artigos acadêmicos, entrevistas com mais de 300 cientistas e executivos, além de pesquisas realizadas em dezenas de empresas.  Através dessas fontes, Duhigg percebeu que os hábitos são criados para poupar o indivíduo de pensar ao executar tarefas simples como tomar banho, dormir ou comer. Assim, os hábitos ajudam a preservar energia para coisas complicadas. O problema é quando o hábito é criado para automatizar algum comportamento prejudicial, como não separar o lixo orgânico do reciclável, sair do sedentarismo etc.




No entanto, a obra de Duhigg - na lista dos bestsellers do New York Times por mais de 20 semanas - defende que todos os hábitos começam com um padrão psicológico: uma deixa, o comportamento em si, a recompensa e a repetição. Por exemplo, se deixamos de ir um dia à academia para dormir mais tempo, encontramos um prazer imediato e esse prazer não nos permite quebrar este ciclo. Assim, apesar de parecer difícil transformar maus hábitos, isso é possível. Basta que exista uma consciência dos motivos que nos levam a eles e por que queremos mudar para, então, criarmos uma nova rotina com disciplina.

Um dos exemplos citados pelo autor no livro diz respeito a ele próprio. Duhigg explica como conseguiu parar de consumir cookies todo dia em meio ao expediente: ele entendeu que o hábito o levava diariamente a uma cafeteria para comê-los, mesmo sem fome, porque as visitas diárias eram, na verdade, uma necessidade de socialização. Começou, então, a levantar no mesmo horário e procurar alguém para conversar durante 10 minutos. A partir de então, nunca mais comeu cookies durante os dias de trabalho. Um novo hábito foi criado.

Assim, maus hábitos, como fumar ou comprar demais, são superados quando aprendemos novas rotinas e a praticamos incessantemente. Se exercitar, evitar produzir lixo desnecessário ou procurar novas formas de consumo consciente podem ser tornar um comportamento tão cotidiano e natural quanto comer, se espreguiçar ao acordar ou escovar os dentes, basta querer e se dedicar algum tempo a seu novo intuito.

É pra ler pra ontem!

Cleo Santiago
Por:
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Editorias
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntas!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.