Como a sede da Copa do Mundo 2018 lida com o próprio lixo?

Postado em
Por:
Marina Marcucci

A Rússia tá bombando e não é pra menos, o maior país do mundo, com mais de 17 milhões de km² foi escolhido pra ser a sede da Copa em 2018. São 11 fusos horários diferentes e quase 150 milhões de habitantes! Não falta polêmica em território russo, mas já parou pra pensar como um país tão gigantesco lida com o próprio lixo? 

Isso é um problemão por lá, já que, segundo o Greenpeace, a Rússia produz 70 milhões de toneladas de resíduos por ano. Não existe uma estrutura consolidada de coleta seletiva e reciclagem na Rússia e em maio desse ano rolou um protesto contra os lixões, na cidade de Volokolamsk, bem pertinho de Moscou. Os russos pediam melhores condições, já que o cheiro do aterro era insuportável pra muita gente. Em março, 50 crianças precisaram de atendimento médico por intoxicação causada por um lixão da cidade. Em 8 anos, a capacidade dele foi ampliada em 10 vezes só pra abrigar o lixo local. As cidades próximas à capital recebem 16% de todo o lixo do país, cerca de 11 milhões de toneladas de lixo.

A previsão é que em 3 anos a capacidade dos aterros russos cheguem na sua capacidade máxima. Nos últimos 10 anos, os russos produziram mais 30% de lixo e, próximo a Moscou, foram fechados 24 lixões nos últimos 5 anos por conta da insalubridade. Em 2016, o país reciclou 9% do seu lixo e quase 3% dele foi incinerado. O que significa que mais de 85% do lixo produzido pelos russos foi direto pros aterros sanitários. No final do ano passado, o presidente Putin decretou uma lei obrigando as autoridades regionais a coordenarem os lixões com seus moradores e a criarem estações de triagem e reciclagem de lixo. Hoje parece que já são vistas algumas lixeiras pra separação pelas cidades.

Putin prometeu construir 5 incineradoras de lixo, 4 nos arredores de Moscou e 1 em Kazan, nas margens do rio Volga. Cada uma delas tem capacidade para 700 mil toneladas de lixo por ano e devem estar em funcionamento em 2021. Ainda existe muita polêmica sobre o assunto, já que incinerar o lixo ainda não é uma solução interessante pro meio ambiente. Durante o mês de junho, a Rússia recebeu mais de 1 milhão de turistas do mundo pros jogos da Copa... Já pensou pra onde foi todo esse lixo?

Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Principais tópicos
Tags em destaque

Postagens

Vamos Juntx!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.