Sobre o Prêmio Lixo Zero

23/10/2018

No último sábado, dia 20 de Outubro, rolou o primeiro Prêmio Lixo Zero do Brasil, uma realização do Instituto Lixo Zero Brasil em conjunto ao Menos 1 Lixo, com o apoio da Aspen Pharma e Purificadores Europa.


A cerimônia ocorreu às 19h no Auditório do Museu do Amanhã, contando com a presença de aproximadamente 200 pessoas, entre elas ouvintes, palestrantes e concorrentes.


O Prêmio Lixo Zero tem por objetivo promover e disseminar os melhores projetos brasileiros que representam a tomada de atitudes sustentáveis em prol do nosso meio ambiente. Promovendo reconhecimento, valorização e visibilidade às práticas que contribuem e reforçam o desenvolvimento do conceito “Lixo Zero” no Brasil.


“São muitas as boas práticas no Brasil, algumas com reconhecimento internacional, esta iniciativa valoriza o trabalho destes virtuosos.”

- Rodrigo Sabatini, presidente do Instituto Lixo Zero Brasil


Desse modo, a premiação foi dividida em seis categorias, visando abranger diferentes áreas dentro da sustentabilidade. Foi um total de 18 concorrentes, três por categoria, uma curadoria do Instituto Lixo Zero Brasil, cuja votação era aberta ao público, democratizando a escolha dos vencedores.


O evento foi aberto por uma fala do Rodrigo Sabatini, enfatizando a importância de um prêmio como o tal aqui no país, seguida de uma breve palestra do italiano Stefano Ambrosini, sobre o Lixo Zero na Itália. A noite contou com uma surpresa: premiações especiais para alguns destaques do ano, que também mereciam o apoio e reconhecimento na pauta da sustentabilidade.

Recebendo o prêmio de Certificação do Ano estavam Francisco Nilson Moreira, Eduardo Azambuja , Ricardo Emediato e Kallel Kopp, representando a R2 Produções, uma produtora de eventos que desvia o mínimo possível para os aterros sanitários. A cidade sulista, Florianópolis também foi premiada como a Cidade Lixo Zero, e quem recebeu a honra foi o vice-prefeito, Sr. João Batista Nunes.

Além destes, Jean Peliciari, líder do Dia da Limpeza Brasil e Let's Do It Brasil, levou para casa o prêmio de Revelação do Ano. E o ambientalista, André Trigueiro foi nomeado como Jornalista do Ano, por trazer à tona a temática da sustentabilidade na imprensa tradicional brasileira.

Após essa etapa, a Fe Cortez, idealizadora do movimento Menos 1 Lixo, teve a honra de apresentar e conceder os demais prêmios da noite.


A primeira categoria premiada foi Conscientização e Educação, projeto cujo maior objetivo é sensibilizar as pessoas, seja através da arte, teoria ou prática com resíduos. Concorrendo estavam o Instituto Ecosurf, uma organização criada por surfistas comprometidos com o combate à poluição nas praias e conservação dos oceanos, o movimento Pimp My Carroça, que dá visibilidade aos catadores, aumentando suas rendas, de maneira lúdica, usando o grafiti como ferramenta de sensibilização, e a Universidade Estadual de Santa Catarina, UDESC, que almeja contribuir para uma sociedade mais justa e democrática em prol da qualidade de vida e do desenvolvimento sustentável do Estado de Santa Catarina. E quem levou o prêmio pra casa foi o movimento Pimp My Carroça.


A categoria seguinte foi Redução e Reuso, premiando idéias que visam a redução do lixo, seja com atitudes ou produtos de reutilização e não de descarte. Concorreram Meu Copo Eco, um negócio de impacto que evita que mais de 1 bilhão de copos descartáveis se acumulem nos oceanos, Favela Orgânica, iniciativa pioneira nas comunidades do Rio de Janeiro com conceitos como consumo consciente, compostagem e hortas em pequenos espaços, e também o Banco de Resíduos, que visa transformar o desperdício em riqueza, incentivando ações empresariais sustentáveis na indústria. Nessa categoria o vencedor foi o Meu Copo Eco, representado pela Larissa Kroeff.


A premiação contou com a categoria Reciclagem ou Sistemas de Reciclagem, de empresas ou instituições que fazem parte da cadeia da reciclagem. Os participantes eram a YouGreen, uma cooperativa de catadores que realiza o trabalho de coleta seletiva, triagem, conscientização e logística reversa de resíduos recicláveis, a Cooperativa Ecco Ponto que começou com o objetivo de tirar as garrafas do rio, e hoje é fonte de renda de catadores e suas famílias, e a Proecologic, uma das únicas empresas no país que faz reciclagem de isopor, que já transformou mais de 50 milhões de quilos de resíduos de isopor e poliuretano. O vencedor dessa categoria foi a Proecologic.


Em seguida teve a categoria de Compostagem, empresa ou projeto social que usa a compostagem como negócio. Concorreram o CEPAGRO, que atua com agricultura urbana, desenvolvimento rural sustentável e educação agroecológica, como as hortas escolares, também competiu o Ciclo Orgânico, um negócio social que tem como missão co-criar uma comunidade em que lixo seja solução e não um problema através da compostagem, e a OEKO, empresa de produtos compostáveis para mitigar impactos ambientais, dando um fim correto aos resíduos orgânicos.  O prêmio foi entregue para Marcelo Chiabi, do Ciclo Orgânico.


Após isso vieram ao palco as concorrentes da categoria Estilo de Vida, pessoas que têm mudado seus hábitos e os compartilhando através de redes sociais. Lá estava a Cristal Muniz, dona do blog Um Ano Sem Lixo, no qual ela compartilha dicas práticas e objetivas para uma vida com menos lixo, a criadora da Casa Sem Lixo, Nicole Berndt, que busca uma vida sem desperdícios em família, colecionando experiências ao invés de coisas, e também o Tião Santos, liderança dos catadores no processo de fechamento, em 2012, de Jardim Gramacho, considerado o maior aterro sanitário da América Latina. Quem venceu a categoria foi o blog Um Ano Sem Lixo, da Cristal Muniz.


E por fim foi premiada a categoria Ações Comunitárias, projetos que atuam com pessoas carentes, catadores, sempre tendo o resíduos sólido como base. Concorreram o projeto ReciclAção de coleta seletiva e reciclagem com ênfase na mobilização comunitária, contribuindo para a erradicação dos riscos socioambientais do Morro dos Prazeres, a Revolução dos Baldinhos é a gestão comunitária de resíduos orgânicos sincronizada à prática de Agricultura Urbana em Florianópolis, e o projeto da Ecobarreira, de preservação do Rio Atuba através de um sistema original de materiais reciclados, que coleta lixos flutuantes no rio. O vencedor foi Diego Saldanha, representando o projeto da Ecobarreira.


A noite se encerrou em uma apoteose musical, com a apresentação da banda Lata Doida, utilizando instrumentos construídos a partir de materiais reciclados, envolvendo as dezenas de pessoas que ocupavam o auditório do Museu do Amanhã, fechando com chave de ouro uma noite memorável para o movimento lixo zero e da sustentabilidade no Brasil.


Todos os participantes ali presentes saíram vitoriosos apenas por dedicarem seus respectivos esforços em projetos e ações em prol do meio ambiente.


“É super importante disseminar a mensagem de que é possível produzir menos lixo e viver com mais qualidade. Levar uma vida Lixo Zero é incentivar a autorresponsabilidade de que nós somos o impacto que geramos.”

- Fernanda Cortez, idealizadora do Menos 1 Lixo


O Amanhã será construído através da inspiração. Pensando nas futuras gerações e na conscientização da sociedade. É fundamental revermos e repensarmos nossos hábitos e impactos enquanto moradores do planeta Terra.


Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Principais tópicos
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntx!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.