Sustainable Brands 2018: Será que fazer o suficiente é eficiente?

Sustainable Brands 2018: Será que fazer o suficiente é eficiente?

Publicado em:
15/2/2019
No items found.

Será que fazer o suficiente é eficiente?

Aquela frase para ter anotado para sempre lembrar :)


Em Dezembro, aconteceu em São Paulo, o maior evento orientado para sustentabilidade do Brasil, que está em sua sexta edição:  O Sustainable Brands reuniu grandes e micro empresas, projetos de diversos setores, pesquisadores e pessoas normais engajadas que assim como eu, estavam lá querendo aprender, estudar e entender mais sobre o tema e como podemos mudar nossas ações, apoiar causas e questionar tudo ao nosso redor para fazermos juntos um mundo melhor.

Temas como plástico, desmatamento da Amazônia, soluções para efeito estufa, moda sustentável, foram destaque no evento e contaram com grandes nomes do mercado como Lorraine Smith (Volans), Cláudia Leite (Nespresso), Alejandro Gowland (National Geographic), Gisela Schulzinger (ABRE), Felipe Spina Avino (WWF) e Luciana Villa Nova (Natura) são alguns exemplos dos participantes e intermediadores dos workshops.

O plástico foi um tema bastante discutido, onde empresas trouxeram cases e produtos como foi o caso da parceria da Positiva com o Boomera onde eles produzem uma embalagem circular, além de ser reciclável, ela é produzida de plástico de pós consumo, obtido em cooperativas de catadores que coletam materiais do oceano.

O representante da National Geographic, responsável pelo lançamento da campanha “Planeta ou plástico”, frisou que, antes de tudo, é necessária a mudança cultural. “A campanha é prioridade para nós e, como meio de comunicação, damos a ela espaço em todas as nossas plataformas, inclusive nas redes sociais, para que a mensagem chegue a mais pessoas”, finalizou Alejandro Gowland.

As marcas patrocinadoras do evento trouxeram seus cases, estandes de demonstrações sobre soluções e como estão se reinventando através do tema de sustentabilidade.

Foto: Marcela Moreira


Sunew, que é uma empresa de soluções de energia solar, trouxe o questionamento sobre o derretimento da calota polar: já foram 75% comprometidos e não tem mais como voltar atrás. A empresa apresenta placas de OPV, que são compostas por materiais orgânicos, não tóxicos e completamente abundantes na natureza e apostam como fonte de energia para os próximos anos. Principalmente pelo Brasil ser um país que tem muito sol (melhores do mundo) porém usamos apenas 0,5% de energia solar, tendo a hidrelétrica sua maior fonte de energia hoje no país.

Natura mostrou a abusou dos seus projetos com Ekos nos workshops e palestras e no final ainda deram um kit com sabonete, hidratante e uma cerâmica de sementes da Amazônia.

Foto: Marcela Moreira


Nespresso controu sua história sobre sustentabilidade e me surpreendeu. Não tinha conhecimento sobre a reciclagem do alumínio que é infinita e não utiliza água. Além disso ela mostrou que já dobraram a reciclagem das cápsulas mas ainda tem um caminho árduo pela frente pois apenas 17% dos compradores levam suas capsulas para reciclagem. O Centro de reciclagem fica em São Paulo e eles mostraram que é aberto a visitas e pode também realizar o tour virtual no site.

Projetos lindos como Rede Jirau e Manioca do Pará mostraram seus cases de sucesso como estão incentivando o trabalho social através da agroecologia dando suporte aos povos indígenas e às comunidades que moram na Amazônia.

Foi um dia inteiro com palestras, workshops, atividades, compartilhamento de conquistas e também muita gente inquieta cheia de vontade de mudar o mundo. Esses eventos e conhecimentos não é só para quem trabalha com sustentabilidade, ok? E sim para todos!! Todos moram no mesmo país e todos podem fazer mudança na sua casa, trabalho e na sua vida. Eu já comecei fazer minha parte! Produzo meus próprios produtos de limpeza, alguns de beleza, uso copinho coletor ao invés de absorventes, levo comigo minha garrafinha de água e meu copinho do #menos1lixo, evito pegar sacolas plásticas, converso e convido as pessoas ao meu redor para se questionarem também.

Participar desses eventos e ter ao seu redor pessoas que lutam pelo mesmo ideal, é inspirador. Sempre dá para aprender algo. Fazer o mínimo não me conforta. É um caminho sem volta. Ser eficiente é entender o problema, é propor soluções, é estudar e se aprofundar, é não aceitar imposições e sim lutar pelo que acreditamos. Não é um caminho fácil, mas se cada um fazer sua parte, juntos somos mais fortes! Eu apoio essa luta e você?

Foto: Marcela Moreira


Foto: Marcela Moreira

Foto: Marcela Moreira

Pratinhos de Folha de Bananeira. Foto: Marcela Moreira

Foto: Marcela Moreira

Sobre Sustainable Brands

O evento foi desenvolvido nos EUA e atinge mais de 350 mil profissionais. A iniciativa acontece no Brasil há seis anos e também é realizada em outros 10 países – Estados Unidos, Argentina, Espanha, França, Turquia, Tailândia, Japão, Malásia, Coréia e Portugal.   O objetivo do encontro é proporcionar um espaço de efetivo desenvolvimento de conhecimento e de relacionamento que os ajudem a direcionar suas decisões nos negócios de forma benéfica para a vida em sociedade.

Marcela Moreira
Por:
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Editorias
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntas!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.