Pesquisa aponta que 35% do plástico consumido são descartados após 20 minutos de uso

13/4/2016

Não faz muito tempo que escrevi uma crônica contando sobre oito lixos que eu produzia e hoje me pergunto o porquê. Aqueles bem tradicionais, alguns que eu descartava rapidamente e também os que despertavam um certo apego, assumo. Primeiro, é bom reforçar que lixo é relativo. E muitas vezes é apenas resultado do que você faz [ou deixa de fazer] com algum objeto, tecido, papel, etc. Eu consumia sem perceber o impacto das minhas escolhas e, consequentemente, gerava resíduo de forma desenfreada e sem necessidade. Calma, isso mudou! <3 Mas muito me lembrei de tais dias quando li sobre um levantamento feito pela organização Race For Water e divulgada também pelo Instituto Akatu: por ano, 250 milhões de toneladas de plástico produzidas e cerca de 35% desse montante são usados apenas uma vez, por apenas 20 minutos. Após o uso, em torno 10% do material descartado tem como destino o mar. Marco Simeoni, chefe da expedição Race For Water Odyssey, passou oito meses fazendo um levantamento global de lixo nos oceanos. Segundo ele, 80% do plástico encontrado no mar têm origem em atividades em terra . “O problema dos plásticos nos oceanos é que o material se quebra em micro partículas que são ingeridas por peixes e pássaros”, explica Simeoni. “Os animais confundem isso com comida. No Havaí, por exemplo, 87% dos pássaros mapeados no local tinham plástico no estômago. O pior de tudo é que tudo é essas partículas são tão pequenas que é inviável fazer uma limpeza disso no mar.”

‍(foto: Divulgação/Race for Water)

Estima-se que 20% dos lixos flutuantes são resultado da atividade humana no mar (tráfego marítimo, pesca, aquicultura, plataformas de petróleo) e 80%, em terra (atividades domésticas, agrícolas e industriais). São inúmeros os impactos negativos desse tipo de poluição nos ecossistemas marinhos e na população humana: ingestão de plástico, enroscamento de animais, colonização de espécies invasoras trazidas pelo lixo, aumento de vetores de substâncias tóxicas contaminantes da cadeia alimentar (que em algum momento são consumidas por seres humanos). Lembra quando falamos aqui sobre os estudos que apontaram a possibilidade dos oceanos terem mais plástico do que peixe em 2050? Pois bem, segundo as previsões da equipe de cientistas da Race for Water, se nada for feito na próxima década, haverá um quilo de plástico para cada três quilos de peixes nos oceanos. As cinco áreas de lixo pelas quais a expedição Race for Water passou totaliza 15,9 milhões de quilômetros quadrados, equivalente a quase duas vezes o território do Brasil. A mancha mais próxima ao território brasileiro, no Atlântico Sul, tem 1,3 milhão de quilômetros quadrados, área equivalente a quase 30 vezes o Estado do Rio de Janeiro. Quantos descartáveis você consumiu hoje? Quais deles eram realmente necessários? Onde você acha que ele está agora? Os aterros também estão lotados. Do que queremos viver cercados? É muito importante repensarmos sempre as nossas escolhas, nos conscientizarmos do impacto delas e lembrarmos que somos todos interdependentes. Mais resultados alcançados com a pesquisa, poderão ser encontrados no site do Instituto Akatu.

Foto do banner: The Wasted Blog
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Principais tópicos
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntx!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.