Aluna cria bandejas biodegradáveis pra substituir embalagens de isopor

Aluna cria bandejas biodegradáveis pra substituir embalagens de isopor

Publicado em:
24/2/2016
No items found.

Caso vocês não tenham uma horta em casa, onde vocês normalmente compram suas frutas e verduras? Em feiras orgânicas? Na tradicional feirinha do bairro? Nos mercados? A questão é: como esses alimentos chegam pra vocês, hein?                       

Há algum tempo, umas das polêmicas das redes sociais era o fato de uma grande rede de supermercados ter colocado à venda tangerinas (também conhecidas como mexerica em algumas regiões do país) já descascadas - tudo "muito bem embalado", claro. O  episódio realmente surpreendente é que a maior parte dos usuários das redes questionou a "facilidade" ofertada nos dias atuais. Com frases do tipo: "na minha época eu colhia do pé" ou "que geração é essa que não pode descascar uma tangerina? Vergonha." Quando na verdade hoje em dia é normal encontrar em várias feiras (ao menos nas do Rio), verduras e legumes já descascados & ralados que, de costume são vendidos dentro de saquinhos plásticos. Sendo assim, o que impressiona é a falta de pessoas questionando a ausência de uma consciência na criação de situações que requerem o uso de mais embalagens e consequentemente mais lixo. Nisso ninguém pensou? Sim, pensou!

Uma jovenzinha de apenas 17 anos, de Curitiba, observou a quantidade de embalagens de isopor que a mãe trazia do mercado por conta das compras, e resolveu então agir em prol do planeta. A estudante de ensino médio, desenvolveu uma nova embalagem biodegradável a partir do bagaço da cana-de-açúcar para substituir o  material que normalmente lota os lixões e aterros, e em média tem como tempo para decomposição de 100 a 300 anos. Achavam o isopor inofensivo? A Sayuri Magnabosco vai explicar pra vocês que não é!

 

Simples e eficiente, o projeto foi desenvolvido por ela no programa de iniciação científica para ensino médio, lançado pelo colégio Bom Jesus em 2011. Sayuri, que contou com a ajuda da mãe e também dos professores da escola, já coleciona medalhas e passou pelas feiras de ciências da Usina de Itaipu, da Universidade de São Paulo (USP) e da chamada Olimpíada dos Gênios, que acontece em Nova York. Tudo muito merecido né, gente?

‍(foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo)

Histórias como essa dão ainda mais propósito ao nosso movimento. Nem todo mundo cria algo tão incrível, mas todos precisam ter a consciência do seu empoderamento. Você pode contribuir sim, e muito! Diariamente. Procure saber a origem do que você está consumindo, se é necessário e como ele chega até você. Repense e se conscientize  pra vivermos melhor e em harmonia com o planeta. Afinal, não somos parte do todo?

Fonte: Gazeta do Povo

Menos 1 Lixo
Por:
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Editorias
Tags em destaque

Você também pode gostar:

Vamos juntas!

Receba conteúdos, notícias, promoções e novidades do Menos 1 Lixo direto na sua caixa de entrada!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.