Sacola plástica: descarte essa ideia

18/1/2016

Por inúmeras vezes ressaltamos aqui o resultado do uso excessivo de plástico. Sejam os coposos talheresos pratosos canudos, e, também, as sacolas. Infelizmente muita gente ainda não tem consciência do problema, sendo assim, a pedido de uma participante do Movimento, falaremos sobre elas: as sacolinhas plásticas. Podemos já começar dizendo que, segundo o Ministério do Meio Ambiente, entre 500 bilhões e 1 trilhão de sacolas plásticas são consumidas em todo o mundo anualmente. No Brasil, cerca de 1,5 milhão de sacolinhas são distribuídas por hora! A matéria do fantástico, mostrou que se empilharmos todas as sacolinhas utilizadas no Brasil durante um ano, a pilha passa da atmosfera da Terra. Perdeu? Clica aí!

Isso sem contar que a produção das sacolas requer o uso de petróleo ou gás natural, dois tipos de recursos naturais não-renováveis, utilizados para fins do que temos como DESCARTÁVEL.  Além é claro, do uso de água e energia e emissão dos gases de efeito estufa e efluentes - no processo de refino do petróleo. E tem mais! Apesar delas desaparecerem da sua frente assim quem "jogadas no lixo", na natureza podem durar até 400 anos. O principal composto do lixo marinho é o plástico.  Ainda segundo o MMA, não são só as sacolinhas descartadas incorretamente que causam impactos ambientais. Mesmo aquelas que seguem corretamente para depósitos de lixo (lixões ou aterros), causam problemas. O plástico tem a característica de impermeabilidade, ou seja, retém a água, causando a impermeabilização do solo e dos depósitos de lixo, dificultando a biodegradação de resíduos orgânicos. Resíduos orgânicos em decomposição emitem gás metano (CH4, vinte e uma vezes mais perigoso que o gás carbônico, o CO2). A compactação do lixo auxiliada pelas inúmeras camadas de plástico impermeável aumenta a incidência de bolsões de gás que, quando revolvidos, liberam o metano para a atmosfera – isso também acontece dentro das próprias sacolinhas, quando contêm lixo orgânico doméstico que, restrito ao invólucro plástico, apodrece em lugar de se biodegradar. Pensando nisso, já apresentamos várias possibilidades bem melhores que utilizar plástico. Descarte essa ideia e fique com o Furoshiki, por exemplo!

Fazer as compras no mercado a granel, é uma ótima opção para reduzir as embalagens, as sacolas, e o desperdício dos alimentos. As ecobags  e as sacolas retornáveis também são boas alternativas, contudo, é preciso lembrar sempre de mantê-las limpas para evitar a contaminação dos alimentos.

E a sacolinha da farmácia? Nem pensar! Fala sério, quase sempre cabe no bolso (ou na bolsa)! ;) Até para o plástico filme da cozinha, demos dicas! Não viu? Clique aqui.

Sabemos que muitas pessoas ainda utilizam sacola plástica nas latas de lixo, mas você pega apenas o necessário? Já considerou a ideia de fazer compostagem em casa? Utiliza jornal para pegar as  fezes do dog? Sempre há boas substituições. O MMA criou uma campanha bem legal, acessível e simples de entender: "Saco é um saco". E aí, alguém ainda precisa de sacola de plástico?

Foto do banner: The Wasted Blog
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Principais tópicos
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntx!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.