Por que temos vergonha da menstruação?

Por que temos vergonha da menstruação?

Publicado em:
26/3/2019
No items found.

"Menstruação, sangue, segredo, escondido, por que?", disse a indiana Aditi Gupta na abertura da sua palestra sobre os tabus relacionados à menstruação.

A menstruação é um processo natural que acontece todo mês com metade da população mundial.

É um fenômeno tão significativo que dele depende a sobrevivência e propagação da nossa espécie, mas mesmo assim nós o consideramos um tabu e temos vergonha de falar sobre isso, diz Aditi.

Qualquer pessoa que menstrua sabe que este processo completamente natural, necessário e inevitável do corpo humano vem com uma carga social grande e repleta de medo e vergonha. Apesar das mulheres passarem até 10 dias por mês lidando com mudanças no corpo relacionadas ao período menstrual e experienciar este evento por décadas de suas vidas, nós ainda esperamos que a menstruação seja quieta, limpa, bem escondida e longe de qualquer olhar. Assim, meninas desde muito cedo são condicionadas a se sentir constrangidas e envergonhadas em relação à menstruação. É difícil encontrar uma menina que não tenha sentido na pele esse tabu. Quem nunca perguntou bem baixinho para uma amiga se ela tem um absorvente para emprestar? E depois escondeu o absorvente embaixo da blusa no caminho para o banheiro?

A vergonha machuca as mulheres

As meninas quando menstruam pela primeira vez são ensinadas a esconder a menstruação, quase como se meninas "comportadas" não menstruassem. Elas aprendem técnicas para isso, como a usar uma bolsinha colorida para não deixar que os absorventes sejam identificados dentro da bolsa, por exemplo. Mas os reais ensinamentos sobre a menstruação deixam a desejar. Meninas não são ensinadas de forma apropriada sobre seus sistemas reprodutivos. Quais sintomas a menstruação pode causar? Qual o impacto no nosso corpo? Por que sentimos dores? O que é a tensão pré-menstrual? Esses assuntos são inibidores e tratados de forma constrangida por todos à nossa volta. Professores, por exemplo, evitam tocar no assunto e quando o fazem agem de forma desconcertada gerando um clima de vergonha e desconforto em toda a sala de aula.

E o que as meninas aprendem? Elas aprendem que é vergonhoso falar sobre menstruação. Aprendem a ter vergonha dos seus corpos. Aprendem que seus corpos vieram com algum tipo de defeito que precisa ser consertado. Para serem moças "comportadas e educadas", elas precisam esconder a menstruação.

Um tabu conveniente

Acredite ou não, o tabu da menstruação pode ser muito conveniente para grandes corporações de produtos menstruais. E é por isso que todo o marketing utilizado ajuda a manter este tabu vivo. Desde comerciais de absorventes que prometem manter o seu segredo sujo seguro atrás de uma saia branca até sabonetes perfumados que prometem deixar sua vagina limpa e cheirosa. Vaginas não são sujas! O marketing da vergonha existe em uma tentativa de gerar insegurança para perpetuar a demanda por produtos desnecessários e mercantilizar a menstruação.

Você sabia que o cheiro ruim que sentimos quando usamos absorventes descartáveis vem na verdade de uma reação do sangue com os químicos presentes nestes absorventes? Não é a toa que encontramos produtos íntimos com neutralizadores de odor como “solução”. Cria-se um falso problema para vender uma falsa solução. A questão é que este falso "problema" é muito mais problemático do que imaginamos.

Ilustração por Silvia Marchetti

Imagine a situação de uma menina com fluxo intenso e cólicas fortes vendo comerciais de TV com mulheres “lindas”, usando saias brancas, felizes, dançando e praticando todo o tipo esporte durante a menstruação. A mensagem por trás de um comercial desses é de que uma mulher "normal" de sente bem quando menstruada. E a primeira coisa que passa na cabeça desta menina é "tem algo de errado comigo". Assim, o corpo natural e saudável é visto como errado. E o corpo artificial e cheio de medicamentos e hormônios é visto como certo.

Uma verdadeira inversão de conceitos.

Outro exemplo interessante é que nossa sociedade aceita tranquilamente o sangue advindo da violência, nota-se pelos filmes de ação e esportes de luta livre. Mas o sangue da menstruação é censurado. Até propagandas de curativos mostram o sangue vermelho, mas nas propagandas de absorventes o sangue é azul. Um argumento muito comum aqui é dizer que nossa sociedade censura todas as excreções corporais, incluindo urina e fezes. No entanto, o papel higiênico que é usado para estas outras excreções é um item totalmente comum. Ninguém tem vergonha de falar sobre papel higiênico ou o esconde na saída da farmácia. Mas as mulheres ainda carregam a bolsa inteira no caminho para o banheiro, em vez de carregar apenas os absorventes.

Chegou a hora de entender que o sangue menstrual é natural, lindo, cheio de vida e não cheira mal. Nosso sangue é vida. Para provar que o sangue menstrual é super natural vou te contar algo muito incrível: você sabia que ele é um poderoso fertilizante para as plantas? Esse é um conceito tão antigo que existem relatos de rituais indígenas em que a mulher, de cócoras, deixava o sangue menstrual escorrer livremente, penetrando e nutrindo a terra, mantendo assim o ciclo de fertilidade em uma linda relação entre os seres humanos e o planeta.

Graças a presença de três nutrientes importantíssimos para as plantas - o nitrogênio, o potássio e o fósforo - o seu sangue é um ótimo fertilizante. Você deve estar pasma e se perguntando: Quer dizer que eu posso regar minhas plantas com sangue menstrual? Sim, é exatamente isso! E não é preciso ter medo ou nojo de lidar com o sangue menstrual. Ele é muito limpo e rico! Trata-se apenas de um componente do seu ciclo, é parte de você e agora pode ser também parte do ciclo da mãe terra!

Quebrando o tabu da menstruação

É hora de mudar! É hora de dizer não ao marketing da vergonha! É hora de assumir que meninas e mulheres menstruam e conversar abertamente e honestamente sobre isso! Somente assim podemos trabalhar para diminuir a pressão social e ansiedade pela qual as meninas passam durante a menstruação e começar a transformar este tabu em algo natural, como de fato é. Quando este assunto for tratado por todos com naturalidade vamos passar a criar meninas mais seguras de si e de seus corpos.

Luisa é dona da marca de menstruação sustentável Korui
Luisa Cardoso
Por:
topo
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Editorias
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntas!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.