A escola que muda o mundo em Alto Paraíso

Publicado em:
10/4/2019
No items found.

O Menos 1 Lixo teve a oportunidade de visitar uma escola em Alto Paraíso (GO) chamada Vila Verde, com um sistema de ensino extremamente integrativo, coletivo e diferenciado. E como todo projeto que nos inspira, queremos compartilhar um pouco com você aí, já que a inspiração provoca revoluções maravilhosas.

A Escola Vila Verde surgiu em 2010, a partir de uma inquietação de um grupo de pais da região, insatisfeitos com os sistemas de ensino público e católico-privado que existiam por ali. Em 2014, ela passou a ser coordenada pelo Instituto Caminho do Meio de Alto Paraíso, que é focado em promover a cultura da paz e os valores budistas, como a compaixão, a união e a alegria.

Sala de aula com os valores da Escola

Quem conversou com a gente foi a Dani Razuk, diretora da escola e claramente apaixonada pelo projeto, trabalhando com propósito e mudando o mundo na prática. A Vila Verde tem base em um tripé de valores: o trabalho acadêmico através de um sistema de projetos, um olhar pro mundo interno das crianças e pras relações e um olhar profundo pro meio ambiente. E você já deve tá se perguntando: mas como fica o MEC nessa equação? Bom, a escola recebeu um prêmio de espaço com diferencial e de criatividade em 2015 pelo próprio. Na época, a única de Goiás. Também integraram o grupo de Escolas Transformadoras pelo ALANA em 2016, fazendo parte de um total de 12 no Brasil e 200 no mundo todo.

A gente educa pra felicidade e pra cultura de paz. E pra isso é importante reconhecer a felicidade como um organismo muito maior.

Isso se aplica na medida em que é o estudante quem escolhe o que vai estudar e aquele molde de aulas clássicas, com o professor ministrando conteúdos super distantes dda realidade de quem estuda não existe. O ano é dividido em 4 bimestres e, em cada um deles, o estudante escolhe um tema pra trabalhar no seu projeto. A partir daí, os professores guiam a pesquisa com dados do ensino tradicional e submetido às obrigatoriedades do MEC. Assim, todo mundo aprende a pensar criticamente, a pesquisar com qualidade e a processar toda a informação, desde o momento da pergunta até o desdobramento do conteúdo.

O que a Dani nos contou é que os estudantes desenvolvem uma capacidade de adaptação absurda e que todos têm uma maturidade acima da média, já que a autorresponsabilidade é muito estimulada e trabalhada, desenvolvendo cidadãos ativos e comprometidos com o todo. Enquanto as escolas tradicionais ensinam na base do decorar, das provas e das notas que deixam os alunos ansiosos e frustrados, os estudantes da Vila Verde participam da prática da presença, trabalhando conteúdo do primeiro ao último dia de aula, com base no que mais gostam de ler e aprender. E isso é bem profundo, né?

O pátio da escola

O mais bonito é que os alunos não são avaliados com uma nota de 0 a 10, mas com conceitos: plenamente satisfatório, satisfatório e insatisfatório. E ali, o que é avaliado é toda a trajetória do bimestre, desde a sua entrega de conteúdo, até o seu relacionamento com os outros membros da comunidade e, claro, com o meio ambiente.

E o empoderamento é bem valorizado por lá, já que um dia vez por semana, todo mundo, alunos, funcionários e professores participam de uma assembleia, que propõe o debate dos desafios daquela semana e, claro, abre pra que todos possam contribuir.. O processo acontece com a metodologia do bastão da fala, já que a escuta é um elemento fundamental pra todo esse movimento. A gestão da escola também se reflete no empoderamento e na comunicação coletiva, e tem base na Gestão por Mandala, um processo aberto que compartilha ajuda na medida de quem pode oferecer possíveis soluções, sem condicionar ninguém a nenhum problema. É um processo que se acolhe diferentes graus de conexão entre as pessoas

A Vila Verde tem um outro pilar super inspiracional: a inserção da comunidade local nesse projeto. Como toda escola, ela precisa de  sustentabilidade financeira, e é particular. Pra garantir o espaço de quem constrói Alto Paraíso, 25% das vagas são bolsas destinadas pra crianças que nasceram na região. É também um valor inegociável que a escola seja plural e de alta qualidade e, por isso, as turmas são pequenas, pra que os professores possam ter total atenção pra todo mundo.

Mas nem sempre dá pra garantir a manutenção integral da escola. Muita gente pergunta no Menos 1 Lixo como ajudar projetos que mudam o mundo. Bom, a Escola Vila Verde é um deles :)

Existem duas maneiras de fazer isso: através da campanha de apadrinhamento da escola ou doando parte do seu imposto de renda pra ela. Dá uma olhada no passo a passo:

Qualquer coisa, entra em contato com eles por email, especialmente pra saber sobre a campanha de apadrinhamento: padrinhovilaverde@gmail.com

Assiste pra saber mais um pouquinho desse projeto que inspira - e muito! Que inspiração é a sua? Conta pra gente.


Nina Marcucci
Por:
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Editorias
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntas!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.