Desliga o automático que vai!

23/10/2016

Hoje estou aqui para contar uma história maravilhosa para vocês, de percepção aguçada pelo afeto. Isso mesmo, afeto! Sabe quando você já acorda com o pé que você costuma andar, pra não dizer o pé direito logo de cara?! Pode ser o direito ou o esquerdo, tudo depende do seu lugar no mundo; eu, por exemplo, sou canhoto, é sempre o esquerdo o pé certo pra mim. Não lembro na real que pé coloquei no chão primeiro. Crendices e ditos à parte, a energia fluiu nesse sentido de fazer #diferente, #desconstruir, #mudar. Eu tinha marcado com o carinha que estou conhecendo agora de ajudar um casal de amigas dele, que eu nem conhecia, com o meu olhar de fora no negócio delas: um sítio. Já amei a ideia, fora que uma fuga do caos do dia a dia é sempre maravilhosa, mesmo que seja a “trabalho”, só de ser num campo a coisa já muda. No campo da experiência mesmo. E também, assim que a história me chegou, de que ele ia doar seu tempo para as amigas, a coisa já me tocou. Click! Mergulhei na ideia, me ganhou no amor, me reconheci. Tem sido assim. Sabe quando a gente sente que está no lugar certo, na hora certa e percebe de todas as formas que está com a pessoa certa?! Pois é, nessa energia dificilmente algo dá errado, e eu sempre estive e estou cada vez mais atento aos sinais. COMPLEMENTARES.

Calma, vamos voltar um pouco, mais precisamente em uma compra que fiz e que chegou nesse dia: um baú lindo aqui pro quarto, pra guardar meus sapatos que estavam bagunçando o armário faz tempo e em cima colocar minha vitrolinha - a coisa do vinil me pegou, dualidade, lado A, Lado B, retrô. Ando meio incomodado com bagunça, peguei um espírito de arrumação mesmo, do clean, do essencial, que é bom falar, mas vamos focar na bagunça! O LUGAR DO ERRADO QUE GRITA EM MIM! Ao chegar o baú, vim logo arrumar as gavetas e pá! Sacolinha do MENOS 1 LIXO. Pronto: fui lá aos tempos de agência, viajei em tudo de bom que já passei e que fazem parte do que sou hoje, nossa, nem vou me alongar nisso. FOCA! Mas só pra entender: AFETO. Falei tanto de sustentabilidade durante um tempo que isso tá em mim, ficou, e tenho TANTO ORGULHO de ter participado de um projeto realmente bonito, transformador, muito também porque me vejo nele, fiz e faço parte, longe ou perto, porque me representa. Me veio todas as experiências maravilhosas que vi acontecer e vivi por causa desse projeto, e fui no copinho: VOU LEVAR! O simbólico atuando. Memória, né? Uma coisa traz a outra. E existe uma memória do corpo que a gente tá despertando pra ela agora: #Feelings.

Sobre viver com menos lixo: fui ao CineArte UFF - que está sensacional - e eles estão com aquela maquininha digital, que não imprime. SEM PAPEL. Gratidão!!! Se você quiser a nota, eles mandam direto pro seu e-mail. E esse é mais um hábito que peguei andando com a Fe, de nunca pedir a minha via do cartão.  Sim, estou andando mais por Niterói agora, o namorado é de lá! Já disse que ele precisa começar a criar o hábito da bike, ele curtiu. PONTO! Tudo no afeto. Repensando hábitos, criando novos. Aos poucos, vamos largando o desejo CARRO. Voltando ao copo: parecia perfeito pra puxar o assunto do um, do que te faz repensar, de trazer pro hábito as mudanças, de atuar de alguma forma, de fazer parte de um “ciclo” de transformação. Coloquei na bolsa. QUERO!

No caminho pro sítio, paramos pra comer e veio aquela vozinha interior: DESLIGA DO AUTOMÁTICO! Faça escolhas, repense, não espere que alguém mude, faça a diferença agora, você! Saí do carro e o copinho no bolso. Confesso que estava meio avoado na hora de escolher o que comer (depois entendi que não tenho um ciclo pra comida, como a primeira coisa que me vem na mente, e estou nos vícios, batata, essas coisas). Na medida do possível, escolhi bem. Novamente os ciclos, só pra vocês entenderem, tenho essa coisa de olhar pros ciclos faz tempo, nasci do outro lado, sou homem, mas desconfio que as mulheres tenham uma intimidade maior com essa coisa de ciclos que gritam que elas são parte do todo e da natureza: O Ciclo Menstrual, por exemplo. A todo momento tem esse ciclo que abre e fecha. Por falar nisso, copinho coletor aquipra mudar a vida!

Sai da menstruação e volta pra comida, só pra naturalizar a coisa: é sangue, gente, nada mais natural! Inclusive tem horta orgânica adubada com o sanguinho delas e acho essa ideia sensacional, aqui. Pedi um suco de laranja e puxei o assunto do copinho com a atendente que topou de pronto colocar o suco no copo. Foi fácil, adorei! A Dani, a amiga do Martin, me questionou na hora: gente, mas você pede isso em todo lugar mesmo? Se fosse um lugar chique, você também pediria? Quase me ofendi, amo o copo, participei do processo de criação, mas nem liguei, entendi a leitura dela, seu lugar, percebi que ela não entendeu a coisa do fazer diferente, da quebra no status quo, e eu chamei pro POP: “É o copo das celebs, miga.” Sim, ainda agrega, o olho dela brilhou. Conversamos um pouco mais sobre o projeto e eles amaram a ideia, o copo, tentaram chorar um descontinho, aquela coisa de amor que ainda existe em Niterói. GRAÇAS!

(Lançamento do Copo Oficial Menos 1 Lixo)

Um dia antes estávamos na praia, pôr-do-sol, tudo lindo, fazia tempo que não ia, sentamos e logo percebi: LIXO! Olho treinado é tenso. Vi logo a coisa, de longe. Entre os lixos, cigarro, miojo, copo descartável. Colocamos no lixo. Ele fuma, e eu odeio cercear liberdades e falar sempre a mesma coisa. Nem preciso. Os ciclos falam por nós, ciclos criam hábitos, saudáveis ou não, sustentáveis ou não. É importante o ajuste. Equilíbrio.

Sítio lindo. Natureza fantástica. Ao primeiro olhar, tudo perfeito. Mas só mesmo ao primeiro olhar. Fazia muito calor, olhei pra piscina e estava VERDE! Tínhamos ido pra lá pra filmar e fotografar o espaço. Impossível! L Na beira da piscina, um copo descartável. Fui descendo um pouco mais, onde ficava uma represa, dava pra seguir uma trilha de lixos - cigarros e mais e mais copos descartáveis - tinha para mais de 6 caixas de cigarros e incontáveis copinhos descartáveis. Catei a maioria e comecei uma faxina no lugar. Vi plantas esturricando no sol, sem água. Molhei algumas, afastei outras do sol intenso. Rotina que eu já tenho em casa, amo plantas. Peguei isso da minha mãe. O lugar precisa mesmo de um olhar atento, é bonito. Ela amou minhas dicas e eu amei ajudar. TROCA!

Voltando aos ciclos gostosos: sexta que vem rola um piquenique na cachoeira. PRAIA, SÍTIO e agora PIQUENIQUE NA CACHOEIRA. Estou curtindo, esse clima me alegra. Ou seja, mais fotos e histórias com copinho em breve! ;)

Só pra esclarecer, eu também tenho um lado A, mas é que eu estou num ciclo do afeto, a verdade é essa, minha irmã está para ganhar bebê e serei titio, e uma sementinha mexe com o coração de todo mundo, né? Ou deveria! Querendo ou não, tudo uma hora floresce! ;)

Vamos trocar experiências, faça parte da mudança dia a dia! Siga-me os bons, @thiwitt pelas redes.

Foto do banner: The Wasted Blog
Gostou do texto?
Compartilhe nas redes sociais esse conteúdo que você acabou de ler e ajude a espalhar a mensagem!
Sobre o movimento

Em 1º de Janeiro de 2015 nascia o Menos 1 Lixo, um desafio pessoal da Fe Cortez, de produzir menos lixo e provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável.

Nossas redes
Principais tópicos
Tags em destaque

VOCê TAMBÉM PODE GOSTAR DE:

Vamos Juntx!

Assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo que acontece no Menos 1 Lixo!
Obrigado! Sua inscrição foi feita com sucesso!
Oops! Something went wrong while submitting the form.